GEOGRAFIA

TAREFA :

1) Quais foram os períodos em que o Brasil esteve sob intervenção militar?



2) De acordo com seus conhecimentos sobre o Totalitarismo, indique a alternativa abaixo que
está incorreta:
a) Na economia, o totalitarismo teve um caráter intervencionista por parte do Estado, sendo que qualquer
outra forma de ordenação das atividades produtivas seria contrária ao fortalecimento da economia e do
próprio governo.
b) Na esfera política, o totalitarismo reprimiu sistematicamente a existência de diferentes grupos políticos
divergentes da orientação oficial. Por isso, tais governos costumeiramente defenderam a adoção de um
sistema unipartidário, sendo nenhum outro grupo político aceito.
c) O ufanismo nacionalista foi repetidas vezes comemorado por meio de manifestações públicas, feriados
nacionais, cartazes, canais de comunicação do Estado e políticas educacionais, supervalorizando um
passado de glórias e oferecendo uma perspectiva de futuro onde a unidade do povo oferecia um porvir
próspero e soberano.
d) Os governos totalitários estabeleceram as forças armadas e policias como uma extensão do Estado, com a
polícia no papel de garantia da submissão ao governo, utilizando de violência física, tortura, prisões
arbitrárias, espionagem, censura e exílio. As forças armadas, complementando essa ação, deviam estar
fortemente munidas contra qualquer ameaça externa.
e) O totalitarismo não contou com uma ideologia sistematicamente reafirmada por meio de agências de
propaganda. O abandono de uma propaganda massiva impedia que o regime repetisse sistematicamente
uma visão histórico-ideológica da nação, que era contrária aos ideais totalitários.
3) O totalitarismo era um regime político que se caracterizava pela máxima intervenção do governo na
sociedade. As relações sociais eram reguladas pelo Estado e o cotidiano era rigidamente policiado, uma das
marcas do terror. A propaganda ideológica era intensa e todos os meios de comunicação eram fortemente
controlados. Outra característica marcante do totalitarismo era o partido único; outras posições políticas não
eram aceitas, senão a predominante, e os opositores eram perseguidos como inimigos nacionais.
BRAICK. P.R.; MOTA, M. B. História das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 2007. p. 562.
O totalitarismo desenvolveu-se no mundo principalmente no período entre a I e II Guerras Mundiais. Qual dos
países indicados abaixo não pode ser considerado como totalitário?
a) Alemanha nazista
b) Itália fascista.
c) URSS stalinista.
d) Inglaterra de Churchill.
e) Espanha de Franco.
4) Apresente a diferença entre Estado e Governo.



5) Quem são os representantes dos 3 poderes na esfera federal?

CIÊNCIAS

TAREFA :

📣Em nossa última aula trabalhamos condução de eletricidade e iniciamos corrente elétrica

⚡Trabalho de Eletricidade: nesse arquivo você está recebendo um questionário sobre os temas
trabalhados até agora em sala de aula e uma questão de
pesquisa com vídeo auxiliar. Você deve imprimir e
responder às perguntas solicitadas.🔍 Preste atenção ao
preencher!

📋Apostila: faça as seguintes atividades da sua apostila de
Ciências: página 19, páginas 27 e 28 (questões: 01, 05, 06,
07, 08 e 12), páginas 30 a 33 (questões: 01 a 10 e 14).

📖Caderno de Atividades: Responda às seguintes questões do Caderno de Atividades de Ciências:
página 05 a 14 (questões: de 01 a 16 e 19).

💬O conteúdo das páginas de da Apostila de Ciências de 01 a 19 já foi trabalhado em aula, portanto, para auxiliar nos
seus estudos você pode utilizar seu caderno e a apostila. Quanto às páginas da Apostila de Ciências: 20 a 25, estão
sendo trabalhadas com auxílio do vídeo do Manual do Mundo: “Qual a diferença entre volt, watt e ampére”?
https://www.youtube.com/watch?v=JtttnL28m3Q como fonte de pesquisa para a resolução da questão número 09 do
trabalho de Eletricidade.
💬Todas as atividades propostas nessas orientações são passíveis de avaliação.

TRABALHO – ELETRICIDADE

1 – Explique como se formam os raios/ relâmpagos:





2 – O que são Prótons, elétrons e nêutrons?




3 – Como é chamada a menor parte da matéria?


4 – A afirmação “os opostos se atraem” está correta? Por que? Explique o que é força elétrica de repulsão e de atração?





5 – Três esferas metálicas e idênticas (A, B e C) estão isoladas uma da outra. A carga das três esferas está
ilustrada a seguir:

QA= + 1 QB= + 8 QC= + 3
A esfera A toca primeiro a esfera C. Depois, elas são separadas e a esfera A é encostada na esfera B. No fim desse
procedimento, qual o valor da carga que cada uma das esferas adquiriu?
Realize os cálculos:

Resultado final: Esfera A: e Esfera C: / Esfera A: e Esfera B:

6 – Explique a eletrização por contato e como é a atração das cargas elétricas desses corpos. Dê um exemplo:





7 – Explique a eletrização por indução e como é a atração das cargas elétricas dos corpos induzidos. Dê um exemplo:





8 – Explique a eletrização por atrito e como é a atração das cargas elétricas dos corpos atritados. Dê um exemplo:





09 – Assista o vídeo do Manual do Mundo “Qual a diferença entre volt, watt e ampére”?
https://www.youtube.com/watch?v=JtttnL28m3Q Utilize as páginas da Apostila de Ciências :20 a 25 para te auxiliar.
E Responda:
O que é uma corrente elétrica e como ela é medida?




Qual a diferença de isolante e condutor elétrico? Dê exemplos:




Explique como funciona a tensão elétrica e como ele é medido:




Explique como funciona a resistência elétrica e como ela é medida:




Explique com funciona a potência elétrica e como é medida:




O que é efeito Joule?



Boa Sorte!

LÍNGUA PORTUGUESA

TAREFA :

  • Leia o verbete a abaixo:
    A Transnístria, por vezes chamada Transdnístria, Transdniestre ou Transdniéstria, cujo nome significa “além do rio
    Dniestre”, é uma região no Leste Europeu situada dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas como pertences à
    Moldávia, embora tenha unilateralmente declarado sua independência em 1990 com a ajuda de contingentes russos e
    cossacos.
    A região mantém-se, de facto, independente com o auxílio de forças russas. O Conselho da Europa considera a questão
    da Transnístria um conflito congelado.
    Os nativos chamam ao país República Moldava da Pridnestróvia (Pridnestróvskaia Moldávskaia Respúblika), não aceitando o
    termo ‘Transnístria’ por o considerarem romeno.
    A capital da região é Tiraspol.
    O território hoje independente de facto não corresponde literalmente ao termo ‘Transnístria’ (quer na acepção russófona
    quer na acepção moldava), porquanto não fica “além do rio Dniestre”, mas antes é atravessado por ele.
    Nome:
    A região é conhecida em português por vários nomes (Transdniéstria, Transnístria, Transdnístria, Trans-Dniestre), não
    estando ainda generalizada uma única forma gráfica. Etimologicamente, estas grafias estão ligadas ao nome coloquial em
    romeno (ou moldávio) Transnistria, com o significado de “para lá do rio Dniestre”, que no entanto não tem uso oficial nem do
    lado das autoridades moldávias, nem do lado das transdniestrianas. O rio é designado por Nistru em romeno/moldávio, por
    Дністе́р (Dnister) em ucraniano e por Днестр (Dnestr).
    Os documentos oficiais do governo da Moldávia referem-se à região como Stînga Nistrului (na forma longa: Unitățile
    Administrativ-Teritoriale din Stînga Nistrului), com o significado de “Margem Esquerda do Dniestre” (“Unidade(s)
    administrativa(s)-territorial(ais) da Margem Esquerda do Dniestre”).
    No entanto, de acordo com as autoridades transdniestrianas, o nome da autoproclamada república em inglês é
    Pridnestrovian Moldavian Republic, que em português seria traduzível para “República Moldávia Pridnestroviana” (em russo:
    Приднестровская Молдавская Республика, transliterado: Pridnestrovskaya Moldavskaya Respublika; em moldávio cirílico:
    Република Молдовеняскэ Нистрянэ, transliterado: Republica Moldovenească Nistreană; em ucraniano: Придністровська
    Молдавська Республіка, transliterado: Prydnistrovs’ka Moldavs’ka Respublika). Os vários nomes são siglados nas três
    línguas ПМР, РМН e ПМР, siglas essas presentes no brasão de armas da república.
    História
    A partir dos séculos X e XI, a história da Transnístria esteve sempre ligada à história da Ucrânia, tendo feito parte,
    inclusive, de um Estado poderoso e prestigioso na Europa, a Rússia de Quieve, que estabeleceu a base das identidades
    nacionais das nações eslavas orientais nos séculos subsequentes. A capital do principado era Quieve, hoje capital da Ucrânia.
    Esta relação fez com que o alfabeto utilizado pela maioria de seus habitantes fosse o cirílico, em vez do alfabeto latino utilizado
    na Romênia.
    Após a extinção desse principado, em consequência das invasões mongóis no século XIII, o território passou por diversas
    mãos, até que, no final do século XVIII, foi incorporado ao Império Russo.
    Com a Revolução Russa, a Transnístria foi incorporada à então criada (março de 1919) República Socialista Soviética da
    Ucrânia, que foi posteriormente anexada à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, quando da criação desta em dezembro
    de 1922.
    Em 23 de agosto de 1939, a Alemanha nazista e a União Soviética assinaram o Pacto Molotov-Ribbentrop que estipulava,
    entre outras coisas, o «interesse» soviético por territórios situados na Romênia. No período, verificam-se esforços para a
    russificação da Transnístria, inclusive com o estímulo ao assentamento de imigrantes de etnia e língua russa na região.
    Administração romena e soviética:
    A Transnístria se tornou uma entidade política autônoma em 1924, com a proclamação da RSSA da Moldávia, o que
    incluía a atual Transnístria (4000 km²) e uma área adjacente (9000 km²) ao redor da cidade de Balta, no entanto, ela não
    controlava nada da Bessarábia, que pertencia à Romênia. Uma das razões da criação da RSSA da Moldávia, foi o desejo da
    URSS de eventualmente incorporar a Bessarábia. A RSS da Moldávia, criada a partir d’uma decisão do Soviete Supremo da
    Aluno (a):_____________________________________________
    Diretor: Sérgio Gentil Pereira Coordenadora: Nelita Gomes Pereira
    Disciplina: Língua Portuguesa – Professor: Filipe Hahn Data: //_ Turma:
    8° ano.
    Colégio MARGIRUS 2020 – Suas Escolhas Definem o seu futuro

URSS em 02 de Agosto de 1940, era formada por parte da Bessarábia (que foi tomada da Romênia em 28 de Junho, após o
Pacto Nazi-Soviético), e uma parte correspondente à atual Transnístria.
Em 1941, após as Potências do Eixo terem invadido a URSS durante a Segunda Grande Guerra, as tropas soviéticas
foram derrotadas e a região ocupada. A Romênia controlou uma área que compreendia os rios Danastro e Bug, incluindo a
cidade de Odessa, que foi transformada em capital regional. O território romeno, o Governo Geral da Transnístria, com uma
área de 44.000 km² e uma população de 2,3 milhões de habitantes, foi dividido em 13 condados: Ananiev, Balta, Berzovca,
Dubasari, Golta, Jugastru, Movilau, Oceacov, Odessa, Ovidiopol, Rîbnița, Tiraspol and Tulcin. Isto aumentou o número de
falantes de moldavo/romeno em 200,000 na região.A administração romena da Transnístria tentou estabilizar a situação na
área sob controle romeno, implementando um processo de romanização.
Durante a ocupação romena de 1941-44, entre 150.000 e 250.000 judeus ucranianos e romenos foram deportados para a
Transnístria; a maioria foi executada ou morreu de outras causas em guetos e campos de concentração do Governo Geral.
Depois que o Exército Vermelho reconquistou a área em 1944, as autoridades soviéticas executaram, exilaram ou prenderam
centenas de habitantes da SSR da Moldávia nos meses seguintes, sob a acusação de colaboração com os “ocupantes
germano-fascistas”. Uma campanha posterior foi dirigida contra as famílias camponesas ricas, que foram deportadas para o
Cazaquistão e a Sibéria. Ao longo de dois dias, de 6 a 7 de julho de 1949, um plano denominado “Operação Sul” viu a
deportação de mais de 11.342 famílias por ordem do Ministro da Segurança do Estado da Moldávia, Iosif Mordovets.
Secessão:
Na década de 1980, as políticas de perestroika e glasnost de Mikhail Gorbachev na União Soviética permitiram a
liberalização política em nível regional. Isso levou à criação de vários movimentos informais em todo o país e a um aumento do
nacionalismo na maioria das repúblicas soviéticas. Na República Socialista da Moldávia, em particular, houve um ressurgimento
significativo do nacionalismo pró-romeno entre os moldavos étnicos. O mais proeminente desses movimentos foi a Frente
Popular da Moldávia. Na primavera de 1988, a FPM exigiu que as autoridades soviéticas declarassem a língua estatal da
Moldávia como a única a retornar ao uso do alfabeto latino e reconhecessem a identidade étnica compartilhada dos moldávios e
romenos. As facções mais radicais da Frente Popular defendiam posições extremadas anti-minoritárias, etnocêntricas e
chauvinistas, apelando para as populações minoritárias, particularmente os eslavos (principalmente russos e ucranianos) e
Gagauz, para deixarem ou serem expulsos da Moldávia.
Em 31 de agosto de 1989, o Soviete Supremo da RSS da Moldávia adotou o moldavo como a única língua oficial junto com
o russo, mantida apenas para fins secundários, devolveu o moldavo ao alfabeto latino e declarou uma identidade linguística
romeno-moldava compartilhada. Como os planos para grandes mudanças culturais na Moldávia foram tornados públicos, as
tensões aumentaram ainda mais. As minorias étnicas sentiam-se ameaçadas pelas perspectivas de remover o russo como
língua oficial, que servia de meio de comunicação interétnica, e pela possível futura reunificação da Moldávia e da Romênia,
bem como a retórica etnocêntrica da Frente Popular. O Movimento Yedinstvo (Unidade), estabelecido pela população eslava da
Moldávia, pressionou para que fosse dado status igual ao russo e ao moldavo.A composição étnica e linguística da
Transnístria diferiu significativamente da maioria do resto da Moldávia. A proporção de russos e ucranianos étnicos era
especialmente alta e a maioria da população, alguns deles de etnia moldávia, falavam russo como língua materna. Os
moldávios étnicos representavam menos de 40% da população da Transnístria em 1989.
A Frente Popular nacionalista ganhou as primeiras eleições parlamentares livres na República Socialista da Moldávia na
primavera de 1990, e sua agenda começou lentamente a ser implementada. Em 2 de setembro de 1990, a República Socialista
Soviética da Moldávia pridnestroviana foi proclamada como república soviética por uma assembléia ad hoc, o Segundo
Congresso dos Representantes dos Povos da Transnístria. A violência aumentou quando, em outubro de 1990, a Frente
Popular pediu que voluntários formassem milícias armadas para impedir um referendo sobre autonomia em Gagauzia, que tinha
uma parcela ainda maior de minorias étnicas. Em resposta, milícias voluntárias foram formadas na Transnístria. Em abril de
1990, multidões nacionalistas atacaram membros do parlamento russo, enquanto a polícia moldava se recusou a intervir ou
restaurar a ordem.
A fim de preservar a RSS da Moldávia na URSS e evitar que a situação se agravasse, o presidente soviético Mikhail
Gorbachev, citando a restrição dos direitos civis das minorias étnicas da Moldávia como causa da disputa, declarou que a
proclamação da Transnístria era sem base legal e anulou-a por decreto presidencial em 22 de Dezembro de 1990. No entanto,
nenhuma ação significativa foi tomada contra a Transnístria e as novas autoridades foram lentamente capazes de estabelecer o
controle da região.
A Guerra da Transnístria:
A Guerra da Transnístria seguiu-se a confrontos armados, numa escala limitada, que eclodiram entre os separatistas da
Transnístria e a Moldávia em novembro de 1990, em Dubăsari. Voluntários, incluindo cossacos, vieram da Rússia para ajudar o
lado separatista. Em meados de abril de 1992, sob os acordos sobre a divisão do equipamento militar da antiga União Soviética
negociados entre as antigas 15 repúblicas nos meses anteriores, a Moldávia criou seu próprio Ministério da Defesa. De
acordo com o decreto de sua criação, a maior parte do equipamento militar do 14º Exército Soviético seria mantida pela
Moldávia. A partir de 2 de março de 1992, houve uma ação militar conjunta entre a Moldávia e a Transnístria. Os combates se
intensificaram ao longo do início de 1992. O Exército de Guardas da 14ª da ex-União Soviética entrou no conflito em sua fase
final, abrindo fogo contra as forças moldavas; aproximadamente 700 pessoas foram mortas. Desde então, a Moldávia não
exerceu nenhum controle ou influência efetiva sobre as autoridades da Transnístria. Um acordo de cessar-fogo, assinado em 21
de julho de 1992, foi mantido até os dias atuais.
Novas negociações:
A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) está tentando facilitar uma solução negociada. Sob os
auspícios da OSCE, em 8 de maio de 1997, o presidente da Moldávia, Petru Lucinschi e o presidente da Transnístria, Igor
Smirnov, assinaram o “Memorando sobre os princípios de normalização das relações entre a República da Moldávia e a
Transnístria”, também conhecido como “Memorando Primakov”. o estabelecimento de relações legais e estatais, embora as
disposições do memorando fossem interpretadas de forma diferente pelos governos da Moldávia e da Transnístria.
Em novembro de 2003, Dmitry Kozak, um conselheiro do presidente russo Vladimir Putin, propôs um memorando sobre a
criação de um estado federado assimétrico da Moldávia, com a Moldávia mantendo uma maioria e a Transnístria sendo uma
parte minoritária da federação. [ Conhecido como “o memorando de Kozak”, não coincidia com a posição da Transnístria, que

procurava um estatuto de igualdade entre a Transnístria e a Moldávia, mas conferia à Transnístria poderes de veto sobre
futuras alterações constitucionais; isto encorajou a Transnístria a assiná-lo. Vladimir Voronin inicialmente apoiou o plano, mas
recusou-se a assiná-lo após oposição interna e pressão internacional da OSCE e dos EUA, e depois que a Rússia endossou a
exigência da Transnístria de manter uma presença militar russa pelos próximos 20 anos como garantia para a Rússia. O
presidente da Pridnestróvia, Igor Smirnov, em reunião com Vladimir Voronin e Dmitri Medvedev
As conversas foram iniciadas em 2006 para lidar com os problemas, mas sem resultados por muitos anos. Em Fevereiro
de 2011, as denominadas “conversações 5 + 2” (assim nomeadas porque foram levadas a cabo pela Transnístria, Moldávia,
Ucrânia, Rússia e OSCE, mais os EUA e a U E como observadores externos) foram retomadas em Viena. Após a anexação da
Crimeia pela Rússia em março de 2014, o chefe do parlamento da Transnístria pediu para se juntar à Federação Russa.
Retirado de: https://pt.wikipedia.org/wiki/Transn%C3%Adstria.
1- Responda as questões abaixo sobre o verbete de enciclopédia:
a) Que tipo de informações há na primeira parte do verbete?





b) Na segunda parte do o que está sendo explicado no verbete?




c) Na última parte do verbete mostra um panorama da Transnístria de que época? Explique.




d) Um verbete de enciclopédia aborda vários aspectos de um mesmo tema, como ficou claro no texto acima. Por que o verbete de
enciclopédia tem isso como objetivo?




e) No texto acima, o verbete foi retirado da Wikipédia, uma enciclopédia virtual. Quais as diferenças e vantagens da enciclopédia virtual em
relação as enciclopédias tradicionais publicadas em formato de livros.




2- Sublinhe os adjuntos nominais.
a) A Márcia é uma chata de galocha .
b) O Eliseu joga no time de Camboriú.
c) Eu tenho um carro vermelho.
d) A Clarice Lispector escreveu contos maravilhosos.
e) O Pedro tem um irmão simpático.

3- Sublinhe os adjuntos adverbiais.
a) Os atacantes fizeram poucos gols.

b) Os caminhoneiros andam rápido.
c) Nós chegamos hoje em casa.
d) Estarei trabalhando de noite.
e) Eu sai vagarozamente do restaurante.

ARTES

TAREFA :

Atividade para entregar:
A partir do estudo do capítulo 01 realizar uma pesquisa sobre o
Movimento Artístico Romantismo na pintura. Identificar por escrito:
Características da pintura;
Principais artistas;
Período ocorrido;
Escolher a imagem de uma pintura do período romântico para reproduzir
através de um desenho, pitando com lápis de cor.